ABTA muda vice-presidências e terá colegiados para programação e distribuição

A ABTA (Associação Brasileira de TV por Assinatura) alterou seu estatuto e estrutura para abrigar novas vice-presidências e uma nova forma de trabalhar e discutir, internamente, os setores de TV paga. Foram criadas quatro vice-presidências que atuarão em conjunto com a presidência executiva. As vice-presidências são ocupadas por Adir Matos, da Sky (administrativo-financeira); Marcelo Bechara, do Grupo Globo (jurídica); Gilberto Sotto Mayor, da América Móvil (distribuição); e José Francisco de Araújo Lima (programação), também do Grupo Globo. Outra mudança importante é que as vice-presidências de distribuição e programação coordenarão colegiados para tratar das questões específicas dos associados envolvidos com estes mercados. Assim, a ABTA pretende dar profundidade a questões de distribuição e programação entre os players de cada um destes segmentos. As questões em que houver divergências serão tratadas pelo conselho da associação, que não teve a composição alterada.

A mudança visa resolver dois desafios históricos da ABTA: uma é refletir a mudança do mercado, em que a segregação dos players de distribuição por tecnologias (DTH e cabo) deixou de fazer sentido com a Lei do SeAC de 2011 e com os rearranjos empresariais do setor. Depois, para dar mais espaço ao segmento de programação, considerando que não existem, no Brasil, entidades representativas que congreguem programadores nacionais e estrangeiros e que enfrentem a agenda regulatória e questões a serem tratadas com a Ancine e outros órgãos (como o Conselho Superior de Cinema, Ministério da Cultura, Congresso etc) cada vez mais complexas. As questões gerais da indústria, como tributárias, pirataria e outras, seguem sendo tratadas de maneira conjunta. E Oscar Simões segue na presidência executiva da associação.

 

Fonte: Tela Viva