Drone do Facebook que distribuirá Internet faz primeiro voo bem-sucedido

O Facebook está investindo no drone Aquila, projetado para ampliar o acesso à Internet para populações que vivem em áreas de difícil acesso. A equipe do Connectivity Lab, da rede social, anunciou o primeiro voo na fase de testes, que teve um resultado bem-sucedido.

O drone conseguiu se manter no ar por cerca de 96 minutos e um dos destaques do projeto é o funcionamento por energia solar. Vale lembrar que, atualmente, 60% da população mundial, cerca de 4 bilhões de pessoas, não tem acesso à rede de Internet.

Drone Aquila do Facebook faz seu primeiro voz de testes em tamanho original (Foto: Divulgação/Facebook)
Drone Aquila faz seu primeiro voz de testes em tamanho original (Foto: Divulgação/Facebook)

Projetado pela Conectivy Lab, do Facebook, o drone Aquila não é tripulado e promete oferecer Internet economicamente acessível, via wireless. A meta é atingir centenas de milhões de pessoas, em locais remotos da terra, que não têm banda larga móvel. Os testes futuros de voos do drone prometem ser ainda mais ambiciosos, com a ideia de fazer o Aquila alcançar uma altitude maior, entre 18,28 Km e 27,43 Km de altura.

O teste de voo, chamado de ”checks funcionais”, busca analisar a estrutura, desempenho da bateria, controles e até a aerodinâmica do projeto. Pela primeira vez o aparelho foi posto no ar em tamanho original e aguentou três vezes mais do que o tempo esperado por seus desenvolvedores.

Drone Aquila aguentou 96 minutos no ar em primeiro teste (Foto: Divulgação/Facebook)
Drone  aguentou 96 minutos no ar em primeiro teste (Foto: Divulgação/Facebook)

O design do Aquila tem envergadura de um avião comercial, com visual fino e logas asas, curvadas na ponta, equipadas com hélices frontais. A tecnologia do drone para oferecer a comunicação será via laser e por sistema de ondas milimétricas.

Drone Aquila, do Facebook, tem envergadura de avião comercial (Foto: Divulgação/Facebook)
Aquila tem envergadura de avião comercial (Foto: Divulgação/Facebook)

As equipes estão trabalhando para o aparelho aguentar até três meses funcionamento, mantendo a conectividade, em cada viagem. E isso quebra alguns recordes de voo com abastecimento solar, que, normalmente, dura apenas duas semanas.

O equipamento é projetado para ser econômico, consumindo cerca de 5 mil watts de energia. Ainda estão previstas diversas etapas de testes, que serão feitos no próximos meses e anos. Ainda não há previsão de quando o drone vai passar a funcionar de forma efetiva.

Fonte: Techtudo