Fox Sports inaugura nova sede no Rio de Janeiro

O Fox Sports tem uma nova sede no Brasil, localizada no Rio de Janeiro. O prédio inicia formalmente suas operações na semana de abertura dos Jogos Olímpicos Rio 2016, já centralizando a cobertura, produção e geração de conteúdo do Fox Sports para toda América Latina. “Começamos há quatro anos no Brasil com a produção 3,5 mil horas no ano. Passamos para 7 mil e, com o novo prédio, poderemos entregar 11 mil horas de produção por ano”, disse durante a apresentação do novo edifício à imprensa na segunda feira, 25, Eduardo Zebini, SVP & CCO do Fox Sports Brasil.

"Com o novo prédio, poderemos entregar 11 mil horas de produção por ano", diz Eduardo Zebini, SVP & CCO do Fox Sports Brasil. Crédito: Zé Paulo Cardeal/Spokesman

“Com o novo prédio, poderemos entregar 11 mil horas de produção por ano”, diz Eduardo Zebini, SVP & CCO do Fox Sports Brasil. Crédito: Zé Paulo Cardeal/Spokesman

Infraestrutura

O prédio de três andares conta com uma área com 4 mil m², 20 salas técnicas, três estúdios, oito ilhas de edição de imagem e duas de som, três switchers, quatro estúdios de off tubes, 27 escritórios para abrigar a equipe e dois pisos de garagem subterrânea.

Construído em 2010, mas nunca usado, o prédio passou por um retrofit para abrigar os estúdios. “O prédio foi uma busca pela cidade e era o que melhor se adaptava para receber a estrutura de uma emissora de televisão”, conta Gustavo Leme, VP sênior comercial e general manager da Fox Network Group do Brasil.

Crédito: Zé Paulo Cardeal/Spokesman

“O prédio foi uma busca pela cidade e era o que melhor se adaptava para receber a estrutura de uma emissora de televisão”, conta Gustavo Leme, VP sênior comercial e general manager da Fox do Brasil. Crédito: Zé Paulo Cardeal/Spokesman

Segundo Luis Santos, VP de engenharia e operações do Fox Sports, o projeto foi desenvolvido em um período de oito meses, começando no final da Copa do Mundo, passando depois por um ano de construção. “Nós buscamos referências nas sedes da Fox do mundo inteiro, tropicalizando as ideias e trazendo para o nosso dia a dia”, conta.

A ideia é que o prédio atenda a todos os departamentos do Brasil e esteja pronto para receber a América Latina, sobretudo durante os Jogos Olímpicos.

Segundo Santos, todo o prédio conta com fibra ótica de 10 gigabytes e a emissora conta com o sistema tapeless, com o armazenamento de conteúdo e dados realizados sem fitas ou qualquer outra mídia física.

Entre as ferramentas utilizadas para maior interatividade da cobertura esportiva está o uso de equipamentos que possibilitam a aplicação da “realidade aumentada”, permitindo que o mundo virtual se misture com cenários, apresentadores e assinantes.

Os três novos estúdios estão providos de iluminação computadorizada, 15 câmeras e áudio digital. Graças à distribuição por fibra ótica, o sinal de qualquer estúdio pode ser editado ao vivo em qualquer um dos switchers do prédio.

Os estúdios têm 170m², 260m² e 220m², sendo que este último está disposto no formato Newsroom, com vista para a área externa.

Nos novos estúdios serão produzidos os programas “Bom Dia”, “Boa Tarde”, “Boa Noite Fox”, “Central Fox de Primeira”, “O Melhor do Fox Sports”, “Central Fox, Rodada Fox”, “Fox Gol”, “Expediente Futebol” e toda a cobertura dos Jogos Olímpicos. “Vamos diminuir a quantidade de programas produzidos em São Paulo, mas mantemos uma presença forte jornalística”, explica Eduardo Zebini.

Rio 2016

Além do ponto avançado no IBC (International Broadcasting Center), toda a cobertura, produção e geração de conteúdo para a América Latina estará centralizada na nova sede.

O Fox Sports Brasil dará total apoio logístico aos 200 profissionais do Fox Sports Argentina, Chile, Colômbia, México – que têm produções locais – e também cuidará de 10 a 12 sinais enviados para outros países latino americanos. Da equipe brasileira serão cerca de 300 profissionais envolvidos.

"Gostaríamos de fazer realidade virtual ao vivo, mas não temos permissão. Provavelmente, vamos gerar material na atmosfera do Rio, ou com repórteres na torcida", conta Luis Santos, VP de Engenharia e Operações do Fox Sports. Crédito: Zé Paulo Cardeal/Spokesman

“Gostaríamos de fazer realidade virtual ao vivo, mas não temos permissão. Provavelmente, vamos gerar material na atmosfera do Rio, ou com repórteres na torcida”, conta Luis Santos, VP de Engenharia e Operações do Fox Sports.

Além disso, conta Luis Santos, o canal panregional esportivo do grupo, durante o período do evento esportivo, será totalmente produzido do Brasil. Normalmente, a operação se divide entre Argentina e México.

Além disso, o canal fará testes de realidade virtual durante os Jogos Olímpicos. “Gostaríamos de fazer algo ao vivo, mas não temos permissão. Provavelmente, vamos gerar material na atmosfera do Rio, ou com repórteres na torcida”, conta Luis Santos.

Sustentável

Na nova sede, o canal adotou medidas como o estímulo ao transporte alternativo e compartilhado, por meio da criação de um bicicletário e um estacionamento com vagas exclusivas para quem estiver com três ou mais pessoas dentro do carro.

A nova edificação tem a principal certificação de construção sustentável para empreendimentos no mundo, o selo LEED Gold (Leadership in Energy and Environmental Design).

Colaboradores

O prédio também foi concebido para oferecer comodidade aos colaboradores do canal no ambiente de trabalho.

A localização privilegiada possibilitou a criação de um “pranchário” para os funcionários adeptos do surf. Também conta com uma área de descanso denominada de “descompressão”.

A nova sede também tem um grande refeitório e um vestiário.

Fonte: Tela Viva