Gired decide manter o cronograma de desligamento na grande São Paulo

Como já era esperado, o Gired avaliou os números das pesquisas na cidade de São Paulo e região metropolitana da capital paulista e decidiu que não há razão para qualquer adiamento na data de desligamento da TV analógica. Com isso, o cronograma vigente, que prevê o switch-off na grande São Paulo no dia 29 de março, está mantido. No final do ano passado a EAD (empresa administradora da digitalização) havia solicitado ao Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, que repassou ao Gired (grupo gestor da Anatel que acompanha o processo). Segundo o presidente da Anatel e coordenador do Gired, Juarez Quadros, a análise dos dados da última pesquisa Ibope em relação ao grau de digitalização na cidade indicou que não haveria necessidade de um adiamento. “Com 86% dos domicílios já aptos para TV digital e com 60 dias ainda de distribuição dos kits, acreditamos que não será necessário um ajusta no calendário”. Segundo Quadros, o Gired fará uma nova avaliação em 20 de fevereiro. Segundo ele, outros indicadores dão confiança de que o cronograma será mantido. “A pesquisa também mostrou que 95% da população já ouviu falar em TV digital e isso cresce no entorno, chegando a 98%. O Ibope verificou também que 88% das famílias sabem que a TV analógica será desligada”.[/vc_column_text][/vc_column]

Segundo o presidente da EAD, Antônio Carlos Martelletto, a expectativa é que pelo menos 50% das famílias elegíveis a receberem o kit de TV digital (um total de 1,8 milhão, entre beneficiários do Bolsa Família e cadastrados no Cadastro Único) recebam o kit até a data de desligamento. “Vamos trabalhar para que todos recebam, e por isso a distribuição pode ser mantida até por um período mais longo”, diz ele. O desligamento, pelas regras do Gired, pode acontecer quando 93% (considerando 3 pontos percentuais de margem de erro) dos domicílios estiverem aptos. Segundo a EAD, hoje 75% das pessoas que poderiam receber os kits já estão aptas a receber o sinal de TV digital. A EAD, ao pedir o adiamento, justificou com uma dificuldade logística de ter 100% das caixas necessárias para a cidade de São Paulo importadas. Até o momento, a EAD já distribuiu 20% dos kits previstos para a região metropolitana e 3% dos kits na cidade de São Paulo.

Segundo Juarez Quadros, as emissoras de TV se comprometeram com o Gired a fazer uma divulgação mais intensiva em relação à distribuição dos kits.

Fonte: Tela Viva

[/vc_row]