COI prepara lançamento de canal internacional gratuito com conteúdo ao vivo e sob demanda

Produzido pela Olympic Broadcasting Services (OBS) em Madri, na Espanha, o Olympic Channel contará inicialmente com 60 profissionais de vinte nacionalidades diferentes

A partir de domingo, dia 21 de agosto, logo após a cerimônia de encerramento dos Jogos do Rio, o Comitê Olímpico Internacional (COI) irá lançar o Olympic Channel, uma plataforma audiovisual gratuita para que os atletas e fãs acompanhem e explorem todos os esportes e modalidades olímpicas. A novidade estará disponível globalmente através de um aplicativo móvel para dispositivos Android e iOS e através do site olympicchannel.com.

Além disso, os interessados poderão acompanhar o Olympic Channel através das redes sociais (Facebook, Instagram, Twitter e YouTube) ou poderão se registrar para receber atualizações do canal através da web.

“O lançamento do Olympic Channel é o começo de uma nova e emocionante viagem para conectar a audiência de todo o mundo com o movimento olímpico durante todo o ano”, diz Thomas Bach, presidente do COI. “Os fãs poderão seguir os esportes, os atletas e as histórias por trás dos Jogos Olímpicos. O canal inspirará novas gerações de atletas e fãs”, ressalta.

Essa plataforma gratuita apresentará uma programação original, com transmissões ao vivo, notícias e resumos da atividade olímpica ao longo de todo o ano. A produção própria do Olympic Channel incluirá conteúdos de curta e grande duração, focando nos atletas de elite e sua busca pelos melhores resultados.

Projetado para uma audiência global, a plataforma será ofertada inicialmente em inglês com legendas em nove idiomas diferentes e contará com um serviço de vídeo sob demanda.

O Olympic Channel tem a intenção de fomentar acordos com outras partes interessadas no movimento olímpico, incluindo emissoras e Comitês Olímpicos Nacionais para desenvolver versões locais de programas, competições e outras produções. A ideia é ofertar conteúdo personalizado para os espectadores locais, contando inclusive com programação de televisão linear.

A equipe do canal é composta inicialmente de 60 profissionais de vinte nacionalidades diferentes. Os departamentos comerciais e de distribuição ficam na sede do COI na Suíça, enquanto que o suporte técnico, a produção e a transmissão ficarão em Madri, à cargo da Olympic Broadcasting Services (OBS).

Fonte: Panorama Audiovisual

olimpiadas-rio-2016-tera-parte-da-programacao-em-realidade-virtual

Olímpiadas Rio 2016 terá parte da programação em realidade virtual

Edição também incorpora tecnologias inovadoras para análises da arbitragem e técnica

A emissora americana NBC anunciou semana passada que irá oferecer cobertura em realidade virtual de parte da programação dos Jogos Olímpicos Rio 2016. Fruto de uma parceria com a Samsung, a novidade, no entanto, só estará disponível exclusivamente para alguns usuários dos EUA que possuam smartphones Samsung Galaxy e o Gear VR através do aplicativo da NBC Sports.

Serão 85 horas de programação em realidade virtual que serão capturados pela Olympic Broadcasting Services (OBS), braço do Comitê Olímpico Internacional responsável pela produção e distribuição do sinal oficial dos Jogos Olímpicos. A programação inclui as cerimônias de abertura e encerramento, basquete masculino, ginástica, atletismo, vôlei de praia, mergulho, boxe e esgrima. Todos os conteúdos em VR serão apresentados com atraso de um dia.

“O maior evento esportivo do mundo é sempre uma vitrine das tecnologias inovadoras e estamos muito contentes em fazer essa parceria com a Samsung e a OBS para trazer aos nossos espectadores uma visão ainda mais próxima da ação que as Olimpíadas trazem”, disse Gary Zenkel, presidente da NBC Olympics.

Para o CEO da OBS, Yiannis Exarchos, a tecnologia VR traz um potencial enorme para a indústria de transmissão esportiva, oferecendo uma experiência de usuário realmente imersiva. “Nosso primeiro teste foi em Lillehammer, juntamente com a Samsung, durante os Jogos Olímpicos de Inverno, e foi um grande sucesso. O VR tem o poder de permitir que milhões de pessoas em todo o mundo tenham a sensação de presença real e de participação nesta grande celebração universal”, ressalta.

Outras tecnologias

Além da realidade virtual, esta edição dos Jogos Olímpicos contará com tecnologias que permitirão uma melhor atuação da arbitragem e da equipe técnica durante os jogos. No vôlei, por exemplo, será a primeira vez que a equipe poderá utilizar vídeo para contestar a decisão do árbitro. Quando solicitado, os replays serão mostrados nas telas espalhadas pelo estádio.

Contadores de volta digital

Outra novidade nesta mesma vertente é a utilização de um contador de voltas digital, oferecido pela Omega. O dispositivo é uma caixa preta com uma tela luminosa de dois números, que ficará no fundo da piscina e servirá para mostrar quantas voltas os nadadores de provas individuais de 800 e 1500 metros ainda tem para percorrer. O sistema foi utilizado pela primeira vez no campeonato mundial de 2015 e no evento teste do Rio 2016 em maio deste ano.

A já conhecida tecnologia GPS também será incorporada nas competições de canoagem e remo. Graças à esses dispositivos instalados nas embarcações, os espectadores poderão ver dados como velocidade e direção nas telas espalhadas pelo local.

Em competições de pontaria, como arco e flecha e tiro, a novidade é a utilização de sistemas eletrônicos de pontuação que imediatamente identificam e mostram o resultados nas telas, com margem de erro de apenas 0,2 mm, muito mais preciso do que o olho humano.

 Fonte: Panorama Audiovisual